Nossa história

Em 2004 chegamos ao mercado com ideias inovadoras, com a proposta de executarmos qualquer projeto baseado em pesquisa e em sinergia com todas as ferramentas que tivéssemos disponíveis.Criamos uma metodologia de trabalho a qual chamamos de comunicação sinérgica. Um novo olhar sobre as reais necessidades do cliente, tendo como ponto de partida problemas a serem solucionados.

O nome Totum, vem do latim “intotum”, no todo. E vem daí toda a construção da nossa metodologia de trabalho. Um olhar atento a uma interconectividade que já atentávamos antes dessa famigerada revolução digital.

Passar por mudanças e transformações ao longo desses 14 anos envolveram desafios enormes, mas compensadores pois outras marcas também cresceram conosco. E assim seguimos por novos caminhos buscando sempre evoluir cada vez mais como empresa e como equipe.

Nossa Marca

A primeira marca da Totum, de 2004 tinha como elemento um átomo. Foi o mais próximos que chegamos da representação emblemática do termo sinergia que queríamos que compusesse a marca .

Após uma mudança no quadro societário, abandonamos o primeiro design e passamos a assinar somente TOTUM.

Em 2008 precisávamos de um redesign urgente, pois uma empresa que se propoe a criar resultados em branding precisava de uma simbologia e iconografia impactantes, coerente com sua proposta de trabalho.

Redescobrimos o OUROBOROS. Um símbolo milenar representado pela serpente engolindo o próprio rabo. É um símbolo para a eternidade.  Significa o ciclo da evolução voltando-se sobre si mesmo. O símbolo contém as ideias de movimento, continuidade, auto fecundação e, em consequência, eterno retorno.

 

Os ciclos se completam. Todos os nossos processos iniciam-se com a análise e o diagnóstico e após as fases de planejamento, criação e produção, voltamos para a análise e o diagnóstico para avaliarmos todos os processos.

Noutra interpretação, a serpente rompe uma evolução linear, ao morder a cauda, marcando uma mudança, pelo que parece emergir num outro nível de existência, simbolizado pelo círculo.

Geralmente, nos livros antigos, o símbolo vem acompanhado da expressão “Hen to pan” (o um, o todo). Remete-se assim, mais uma vez, ao tema da ressurreição, que pode simbolizar o “novo”.

E é assim que todo negócio deve ser. Existir para mudar, para crescer e evoluir, como o própria vida humana.